Como cuidar e reforçar o nosso sistema imunitário

O nosso sistema imunitário protege-nos a cada instante contra batalhões de vírus, bactérias, fungos e outros parasitas. Uma debilidade de saúde ou fraqueza do sistema imunitário, é uma doença que se estabelece e se instala no nosso organismo.

 

Então, como reforçar as nossas defesas e fortalecer o nosso sistema imunitário?

Desde o início da nossa existência possuímos um verdadeiro exército ao serviço da nossa sobrevivência e, toda a nossa programação biológica é focada em duas atividades bem definidas: Reprodução e Sobrevivência. A maioria de nós nem se apercebe e, até nem temos consciência disso, mas a cada segundo, a nossa sobrevivência é ameaçada por vírus, bactérias, fungos e, parasitas, que estão omnipresentes ao nosso redor e, que poderiam aniquilar-nos, se não tivéssemos um sistema de defesa tão sofisticado, quanto eficaz, como é o nosso sistema imunitário. Basta uma ligeira fraqueza para se instalarem resfriados, amigdalites, gastroenterites ou doenças muito mais graves e complicadas.

 

Como reconhecemos se o nosso sistema imunitário está fraco?

O sistema imunitário é muito complexo, pelo que é difícil reconhecer se está a funcionar em pleno, pelo facto de vivermos num ambiente em que a água, o ar e a comida estarem poluídos. Contudo, existem alguns indicadores que nos podem alertar para um estado de imunidade verdadeiramente insuficiente, como por exemplo infeções de variada natureza, fadiga crónica, lesões com dificuldade curativa, etc.

 

O que influencia o sistema imunitário?
Existem múltiplos fatores, que tanto podem diminuir como podem reforçar. Fatores e causas são muitos, como idade, doença, desnutrição, sedentarismo, excesso de peso, stress, insónias, poluição, tabagismo, alcoolismo, drogas, etc. Por outro lado, um bom sistema imunitário é favorecido por um conjunto de fatores como o estilo de vida saudável, prática regular de atividade física, controle do stress, práticas de meditação, sono reparador e nutrição saudável.

 

Outros fatores que determinam um bom sistema imunitário:

A vitamina D tem sido muito discutida nos últimos anos e, durante o inverno, quase todos somos deficientes da vitamina D, pois está intimamente ligada ao nosso sistema imunitário. Um recente estudo publicado na Naturemostra defende que a nossa primeira linha de defesa, células T, é ativada somente na presença da vitamina D, sem esquecer a vitamina A, com a qual a vitamina D funciona sinergicamente.

A vitamina C está na consciência coletiva, pois ao mínimo sinal dum pequeno resfriado, todos pensamos na vitamina C para estimular o sistema imunitário. Todavia, também existem alguns estudos que concluem que a vitamina C só tem efeitos terapêuticos para prevenir e curar resfriados, quando é tomada em conjunto com zinco.

A proteção dos intestinos é cada vez mais referida nos dias de hoje, até já referem ser o nosso segundo cérebro, devido ao número de conexões neuronais que existem nele, sendo deste modo, o nosso primeiro órgão de defesa. Se estiver a funcionar mal ou estiver em mau estado, é uma enorme porta aberta para reações alérgicas ou inflamatórias. Quando a flora intestinal é atacada e diminuída, seja por uma alimentação pobre, uma gastroenterite ou por toma de antibióticos, o nosso sistema imunitário está enfraquecido e doente, não reagindo aos múltiplos ataques. Nestas situações, os probióticos são uma boa e útil solução como terapêutica diária e regular.

Como conclusão, poderemos deduzir que o um sistema imunitário forte é o resultado de interações complexas, influenciado pelo nosso estilo de vida, por uma nutrição saudável em vitaminas, proteínas e minerais, atividade física regular, boa gestão do stress e sono reparador.

 

⌈ Juvenal Silva, Naturopata
Cédula Profissional 0300193 – ACSS ⌋