A importância dos suplementos dietéticos

Existem disponíveis no mercado muitos suplementos dietéticos e, nem sempre são conhecidas as suas verdadeiras funções, causando alguma dificuldade ou confusão. Assim sendo, torna-se importante conhecer e compreender a importância de cada um deles, pelo que enumero alguns dos mais representativos.

Lactobacillus acidophilus – é uma cultura bacteriana que se encontra nos produtos à base de leite fermentado como o iogurte, o soro e o Kefir. Comercializa-se em cápsulas ou em pó. A sua função é restabelecer as bactérias intestinais saudáveis e destruir os organismos patogénicos presentes nos intestinos. Este suplemento deverá ser tomado por todas as pessoas algumas vezes durante o ano, mas muito particularmente por quem sofra de problemas digestivos e intestinais, problemas de pele, doenças crónicas, alergias, incapacidade de absorção de alimentos e vitaminas, ou careçam de tratamentos antibióticos. É também utilizado para controlar a flatulência porque altera a composição das bactérias e cria uma situação de menor fermentação e menor formação de gases.

Aloe Vera – são imensos os produtos que existem no mercado, mas os mais reconhecidos como medicinais, têm origem nas variedades Aloe Arborescens e Aloe Barbadensis. Particularmente os sumos, pomada e o gel, têm propriedades notáveis, desde as pequenas enfermidades às doenças oncológicas. Esta planta é muito rica em saponinas, produto que bloqueia as enzimas inflamatórias no organismo e remove os mucos. É também muito rica em antraquinona, que é um antibiótico natural com propriedades antifúngicas. Além disso, os Aloés contêm vitaminas e sais minerais e uma proteína com os 18 aminoácidos, hormonas essenciais na cura de feridas. Externamente o Aloe é utilizado no tratamento de acne, ulcerações e outros problemas de pele, como também queimaduras, incluindo as provocadas por raios X e radioterapia. Internamente, o Aloe devido à sua multiplicidade de componentes fitoquímicos, é utilizado nas doenças do sistema digestivo, pulmonares, obstipação intestinal e oncológicas.

Spirulina – é uma microalga que cresce naturalmente em lagos alcalinos do México e da África e contém entre 60-70% de proteína, quase totalmente digerível, contendo ainda vitaminas do complexo B e sais minerais como o cálcio, o fósforo, magnésio e zinco. Não tem vitamina B6, C, nem D, ou mesmo hidratos de carbono, gorduras ou fibras; Por isso, não é um alimento completo. Contudo, a spirulina é um Super alimento com mais proteína que as carnes vermelhas, que ajuda a evitar a desnutrição em dietas vegetarianas vegan e nos tratamentos da síndrome metabólica, cardiovasculares e anemia. Para além disso, tem grande quantidade de clorofila, antioxidante que ajuda a inibir a produção de moléculas envolvidas nos processos inflamatório e reforça o Sistema Imunitário. Co-enzima Q ( CoQ – 10 ) – É um nutriente com um importante papel na produção de energia nas células do organismo e no processo de oxigenação. É produzida pelo nosso organismo e pode ser obtida através da dieta. Contudo, várias investigações têm demonstrado fracas quantidades de Co-Q10 nos tecidos humanos, pela que a sua suplementação se torna importante nas doenças cardiovasculares, hipertensão e fadiga por ineficácia da tiroide.

Só se consideram Suplementos Dietéticos os que estejam autorizados pelas autoridades competentes e sejam sujeitos aos meios de controle de acordo com a legislação em vigor.

 

⌈ Juvenal Silva, Naturopata
Cédula Profissional 0300193 – ACSS ⌋